Ecologia Interna e Propósito

A foto ao lado mostra um prédio inacabado que foi construído aqui no bairro onde moro atualmente (bairro Botafogo, cidade de Campinas/SP). A construção destoa completamente do contexto dos outros prédios, desagrada os vizinhos e é alvo de reclamações e protesto entre os moradores.
Fico pensando em quantos prédios inacabados estão montados em nossas mentes. Projetos, sonhos, objetivos… Muita iniciativa e pouca acabativa.
Terminar aquilo que começa é também uma questão ecológica. Ou você segue adiante com o seu projeto ou elimina-o (limpa o terreno) de sua vida. Caso contrário, ficará desperdiçando a sua energia mental.
No áudio de hoje, eu convido você a refletir sobre este terceiro ingrediente da Ecologia Interna: O Propósito!
Basta clicar no player abaixo:

Áudio em MP3 | Fazer o download
Aproveite que está online e partilhe esta mensagem com seus amigos. Basta clicar nos botões das redes sociais (logo abaixo do título desta pstagem).
Sucesso e Felicidade Para Você!


2 respostas para “Ecologia Interna e Propósito”

  1. Oi, Chris
    Acabei de ouvir o podcast de hoje e fiquei contente por você ter lido parte de meu email. Eu me dei conta que me expresso melhor escrevendo do que falando (para melhorar esse aspecto comecei a ver os seus vídeos sobre "comunicação e influência" e comprei também alguns livros). Se quiser me preparar para dar uma palestra é melhor me apresentar bem, não ? Em relação ao tema de hoje o que tenho a dizer é que já abandonei vários projetos porque vi que não queria continuar. Isso foi motivo de comentários por parte de minha mãe que dizia que eu nunca terminava o que começava. Agora vejo que é melhor deixar para lá algo que não tem nada a ver com você do que insistir muitas vezes por orgulho e ter a sensação de dever cumprido. O exemplo mais concreto foi em relação à escolha da minha profissão: na primeira vez que entrei na faculdade foi para cursar japonês (e peguei como segunda língua o francês). Achei que deveria resgatar a língua falada pelo meus ancestrais, mas eu me obrigava a ir às aulas. Quando ainda fazia o curso de japonês frequentei o curso de italiano como ouvinte e foi assim que descobri o que queria fazer de verdade. E não tive dúvidas: prestei vestibular de novo e consegui me classificar para pegar o italiano como primeira opção. E já ensino essa língua há 24 anos. Em 2012 vou comemorar o jubileu de prata!!! Se eu começava as coisas e não terminava, não era por ser volúvel, mas justamente por não saber exatamente o que queria. Quando descobri foi uma maravilha!!! Posso dizer que já demoli vários prédios começados, mas os que terminei estão bem sólidos e bem cuidados.
    Um abraço

  2. Excelente. Isto se chama "viver o seu Darma". É por isso que você está aqui, na UniDarma! Grande abraço e parabéns por este lindo comentário e exemplo de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *