A arte de envelhecer

Conta um jovem universitário que no seu primeiro dia de aula o professor se apresentou e pediu que todos procurassem conhecer alguém que ainda não conheciam.
Ele ficou de pé e olhou ao redor, quando uma mão lhe tocou suavemente o ombro. Deu meia volta e viu uma velhinha enrugada, cujo sorriso lhe iluminava todo seu ser.
Ela lhe falou sorrindo: Oi, gato. Meu nome é Rose. Tenho oitenta e sete anos. Posso lhe dar um abraço?
O moço riu e respondeu com entusiasmo: claro que pode!
Ela lhe deu um abraço muito forte.
Por que a senhora está na Universidade numa idade tão jovem, tão inocente? Perguntou-lhe o rapaz.
Rindo, ela respondeu: estou aqui para encontrar um marido rico, casar-me, ter uns dois filhos e, logo me aposentar e viajar.
Eu falo sério, disse seu jovem colega. Quero saber o que a motiva a enfrentar esse desafio na sua idade.
Rose respondeu gentil: sempre sonhei em ter uma educação universitária e agora vou ter.
Depois da aula ambos caminharam juntos por longo tempo e se tornaram bons amigos.
Todos os dias durante os três meses seguintes saíam juntos da classe e conversavam sem parar.
O jovem universitário estava fascinado em escutar aquela “máquina do tempo”. Ela compartilhava com ele sua sabedoria e experiência.
Durante o curso, Rose se fez muito popular na universidade. Fazia amizades onde quer que fosse.
Gostava de se vestir bem e se alegrava com a atenção que recebia dos outros estudantes.
Ao término do último semestre, Rose foi convidada para falar na festa de confraternização. Naquele dia ela deu a todos uma lição inesquecível.
Logo que a apresentaram ela subiu ao palco e começou a pronunciar o discurso que havia preparado de antemão. Leu as primeiras frases e derrubou os cartões onde estavam seus apontamentos.
Frustrada e um pouco envergonhada se inclinou sobre o microfone e disse simplesmente:
“Desculpem que esteja tão nervosa. Não vou poder voltar a colocar meu discurso em ordem. Assim, permitam-me, simplesmente, dizer-lhes o que sei.
Enquanto todos riam, ela limpou a garganta e começou:
Não deixamos de brincar porque estamos velhos; ficamos velhos porque deixamos de brincar.
Há alguns segredos para manter-se jovem, ser feliz e triunfar.
Temos que rir e encontrar o bom humor todos os dias.
Temos que ter um ideal. Quando perdemos de vista nosso ideal, começamos a morrer.
Há tantas pessoas caminhando por aí que estão mortas e nem sequer sabem!
Há uma grande diferença entre estar velho e amadurecer. Se vocês têm dezenove anos e ficam um ano inteiro sem fazer nada produtivo se converterão em pessoas de vinte anos.
Se eu tenho oitenta e sete anos e fico por um ano sem fazer nada de útil, completarei oitenta e oito anos.
Todos podemos envelhecer. Não requer talento nem habilidade para isso. O importante é amadurecer encontrando sempre a oportunidade na mudança.
Não me arrependo de nada. Nós, de mais idade, geralmente não nos arrependemos do que fizemos mas do que não fizemos.
E, por fim, os únicos que temem a morte são os que têm remorso.”
 
Terceira idade

TAGS:


Uma resposta para “A arte de envelhecer”

  1. Sempre fui meio criança.custei a amadurecer. Vivia nos meus sonhos e contemplando mesmo aos 35 anos as estrelas e as contava.
    Sorria quando uma riscava o céu. nunca tive malícia e sempre busuquei na inocência a diretriz de minha vida.
    Pensava sempre que para que aprender ou ver o que não vai somar nada pra mim?
    O melhor é ler,sim ler bastante livros que enriquecem o coração o embelezando e flores orem se colando nele com as letras das coisas lindas que lia. Nunca,embora a vida tenha me imposto , busquei o mal e desta forma continuo sem me ligar nas vidas mortas que caminham ,porém que estão mortas por dentro.
    Olhava e dizia Zumbis andam,caminham e nem percebem que estão mortos,porque suas vidas giram em torno de futilidades,leviandades ruins.
    Sou leviana no bom sentido em curtir o som nascendo ,porque moro em beira mar. e se pondo a tarde …beleza!
    Sinto-me feliz por ter paz. E como esta senhora disse “Só tem medo da morte quem tem remorsos”
    Eu não temo morrer para mim a vida dentro de mim foi e é ,no momento bela e cheia de coisas para se anelar a cada dia.
    Um beija-flor.
    Um casal de canários a beira mar namorando é tão belo!
    Obrigada!
    Amei seu modo de pensar e ver a vida.
    Vida tem que ter objetivos e sonhos e esperança de que o amanhã sempre virá ou interrompera pela vida que a qualquer momento some ,mas ainda vale a pena amar e sentir a paz de uma consciência FELIZ!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *