Síndrome da mulher do médico

Um dos ingredientes básicos do Poder Pessoal é você se estabelecer na vida a partir daquilo que VOCÊ É… e não a partir dos títulos que lhe foram conferidos, dos bens que adquiriu ou das referências de outras pessoas vinculadas à sua vida.
Pense um pouco: o que define você?
O diploma de sua faculdade?
O cargo que você ocupa na sua empresa?
O carro que você possui na garagem?
Você é respeitado porque é “amigo” daquele político importante?
Ou é conhecido porque tem o sobrenome da família “X”?
Chamo todas estas coisas de “Síndrome da mulher do médico”.  São todas aquelas pessoas inseguras e carentes de aprovação que, para se definirem ou se auto-afirmarem, necessitam de referenciais externos. Quer mais exemplos?
“Sou o gerente geral da empresa X!”
“Sou o marido da artista de novela Fulana de Tal!”
“Sou o filho do Sr. Beltrano, dono da fazenda Beltrano & Cia.”
“Acabei de comprar o último modelo do carro X, quer sair comigo?”
Obviamente, estamos aqui nos defrontando com uma total e completa carência de autoconhecimento. Sim, você pode ter títulos, bens, status social e contar com a presença de pessoas influentes ao seu redor. Mas isto AINDA não é você. Quanto mais cedo descobrir esta verdade, tanto mais chances terá de entender o que é o verdadeiro Poder Pessoal.
Então, pergunto novamente: o que define você?
Ao longo desta semana, eu e os outros comunicadores da Rádio Unidarma, estaremos tratando deste tema tão intrigante. E você também é convidado a participar desta discussão, deixando aqui os seus comentários e dizendo o que pensa a respeito disso tudo.
Sucesso e Felicidade Para Você!


5 respostas para “Síndrome da mulher do médico”

  1. É vdd… e isto é muito perigoso pois se acontece da pessoa perder o título, ela perde o referencial de si mesmo, até porque tal referencial não foi desenvolvido… e pessoas q dependem de um título para ser alguém entrega todo seu poder pessoal a um fator externo o que causa constante frustração interna… pois a pessoa não consegue enxergar seu verdadeiro poder… SEU PODER INTERIOR.

  2. Tudo que vc disse nesta postagem é muito importante ,e eu espero que todos aproveitem bastante e comecem a exercitar o seu poder pessoal e o conhecimento de si mesmo ,
    para que saibamos que importante mesmo é o SER . O TER é resultado do Ser.Devemos respeitar a todos e parar fantasiar em cima do temos, da posição que ocupamos , profissão, carros, roupas,pois isso tudo não nos ajuda na hora que estamos enfrentamos
    os desafios que a vida nos apresenta.Esse assunto é muito vasto,vou fiando por aqui.
    Um grande abraço

  3. refleti a respeito do assunto e cheguei a conclusão que tudo o que estou lendo só está me fazendo bem, não fugindo do assunto mas é impresionante o poder de entender as coisas do geito que elas são muitas vezes sabemos mas precisamos ver ouvir e passar por situações para entender. fica aí o meu comentário parabenizando o grande empenho de ajudar as pessoas isso tudo ta me fazendo muito bem obrigado.

  4. Olá Chris tudo bom?
    Até então eu não havia ouvido falar em tal sindrome, mas no entanto, aos meus olhos me parece ter margem para controversias, veja só por este angulo, a maior parte dos seres humanos necessitam de realização nas diversas areas existenciais e quando falham alguma delas vem a frustração e em muitos casos acompanhada de depressão o que é terrivel, pois sei muito bem esta enfermidade invisível tem me encomodado desde os meus 19 anos isto é desde 1974, perdoe o meu vocabulario chulo, mas só dizendo assim que merda, antes lembro-me muito bem minha vida era só de alegrias vivia rindo o tempo todo, contumava ate dizer que não existia ninguém mais feliz que eu , que no maximo igual e a minha realidade hoje é outra não tenho como me enganar, é claro que eu queria muda-se, mas atualmente minha vida está uma bosta, me sinto assim como tivesse perdido o fio da meada , é fazer o que? Chis um Forte Abraço pra vc e sua familia fui…

  5. Olá Luiz, é claro que nunca ouviu falar desta síndrome, estou apenas usando uma figura de linguagem, um neologismo para explicar um conceito mais profundo, ok? Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *